Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

Energia solar se torna a terceira matriz elétrica nacional, com o Brasil produzindo 17 GW

Número foi alcançado em agosto e produção segue em alta desde fevereiro

São José do Rio Preto, sábado, 6 de agosto de 2022, por Sérgio Carrieri – A Energia solar produzida no país em agosto foi de 17 GW (Gigawatts). O que significa que esse tipo de fonte de energia corresponde a 8,4% da matriz elétrica nacional. Além disso, se transformou na terceira principal fonte geradora de eletricidade do país.

Dessa forma, o Diário Superpix vem trazer mais detalhes dessa importante marca atingida pelo Brasil em agosto. Segundo a Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar), essa marca sobe 1 gigawatt todo mês desde fevereiro. E está atrás, apenas, das usinas hidrelétricas e eólicas na geração de energia elétrica no país.

Ainda conforme a Absolar, desde o ano de 2012, mais de R$ 90 bilhões já foram investidos no setor. Ao mesmo tempo, renderam mais de R$ 24 bilhões ao Governo Federal em impostos e, ainda, criaram cerca de 515 mil empregos. Isso tudo evitando que mais de 25 milhões de toneladas em CO² fossem despejadas na atmosfera.

Energia solar se torna a terceira matriz elétrica nacional, com o Brasil produzindo 17 GW - imagem Freepik
Energia solar se torna a terceira matriz elétrica nacional, com o Brasil produzindo 17 GW – imagemFreepik

Energia solar complementa a geração de energia elétrica nacional

De acordo com Rodrigo Sauaia, presidente da Absolar, a energia solar ajuda na divisão das matrizes geradoras de energia do Brasil. Diminuindo um pouco a pressão sobre os recursos hídricos, ainda mais em tempos de escassez de chuvas. E contribui também para a manutenção da estabilidade no custo da eletricidade para a população.

Destaca ainda os altos custos de geração de energia das usinas termelétricas em momentos de estiagem. Para se ter uma ideia, essa energia pode ser até dez vezes mais cara que a energia solar. Bem como, a importação de eletricidade de outros países, provocando o aumento nas bandeiras tarifarias.

Atualmente, o Brasil possui cerca de 5,3 GW de potência disponível em usinas solares de grande porte, conforme artigo publicado em 5 de agosto no Portal Infomoney. O país tem ainda outros 11,9 GW de potência disponível no segmento de geração própria (GD). E nesse segmento, quase que a totalidade, ou 98%, da energia produzida vem de fonte solar.

Os custos ainda são um impeditivo para sua popularização?

Em primeiro lugar, é preciso destacar que o custo de instalação de um sistema de energia solar fotovoltaico, pode variar muito. O que determina o preço do projeto são o tamanho e a dificuldade da instalação. Por exemplo, o tipo do telhado onde se instala o sistema influencia para cima ou para baixo no custo total do projeto.

Porém, na maioria dos locais não há necessidade de grandes obras para a instalação das placas fotovoltaicas. Após a instalação no telhado da edificação, são conectadas por cabos no próprio quadro de luz do local. Contudo, o menor sistema disponível hoje parte dos R$ 13 mil e pode ser redimensionado caso necessário.

Aliás, essa é outra grande vantagem desse sistema, que pode ir se adequando conforme as necessidades do usuário exigir. E por fim, é preciso destacar os incentivos de financiamento atraentes para quem quiser um projeto desses. Vale a pena pesquisar.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais