Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

Anvisa recebe pedido para registrar, de forma definitiva, a Coronavac

Imunizante foi o primeiro contra a Covid-19 a ser usado no país

São José dos Campos, 09 de julho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recebeu o pedido para autorização definitiva da vacina CoronaVac. Esse é um dos imunizantes de combate à Covid-19, usado no Brasil desde o início do ano passado.

Aliás, na época, o governo de São Paulo e o Instituto Butantan intermediaram a vinda da vacina, produzida na China. No entanto, a autorização para usar o produto veio de forma emergencial. E o instituto pediu a autorização definitiva.

Isso por conta do auge da pandemia do novo coronavírus, naquela oportunidade. Então, logo após passar pela fase 3 de testes, o governo chinês aprovou o imunizante e o Brasil começou a receber o produto.

Desta maneira, as primeiras pessoas a receberem a vacina no Brasil foram com a CoronaVac. Esta vacina precisa de duas doses, em um intervalo de 15 dias, para conseguir a proteção total. Ainda assim, é preciso aguardar mais duas semanas após a segunda dose para ter a imunização de fato.

Sequência da vacinação

Atualmente, o programa de imunização continua acontecendo em todo o país. Outras vacinas chegaram logo depois, como a Pfizer, Astrazeneca e a Janssen. Esta última, porém, precisa de apenas uma dose.

Agora, como a Coronavac já é até produzida no Brasil, é possível que haja essa aprovação em definitivo.

No começo da pandemia, o mundo correu para tentar descobrir uma vacina contra essa doença. Isso por conta da maior crise sanitária recente da história da humanidade.

Então, em janeiro de 2021, o Brasil começou a aplicar a vacina em ídolos acima de 90 anos e profissionais de saúde.

Depois, até o segundo semestre, todas as faixas etárias passíveis de receber o imunizante já puderam se vacinar.

Anvisa recebe pedido para registrar, de forma definitiva, a Coronavac. Foto: Canva
Anvisa recebe pedido para registrar, de forma definitiva, a Coronavac. Foto: Canva

Doses de reforço

Atualmente, o país vive a fase de aplicação das doses de reforço. Ainda no final de 2021, começou a aplicar a terceira dose. Agora, desde o final do primeiro semestre de 2022, já aplica a vacina da quarta dose. E o Diario Sp lembra que é importante tomar todas as doses para garantir a imunização.

Desse modo, o avanço da vacinação contra a Covid-19 no Brasil e no mundo permitiu que houvesse a reabertura do comércio. Inclusive, o uso de máscaras deixou de ser obrigatório em todos os lugares.

Ainda assim, o vírus circula e o Brasil vive a expectativa de uma quarta onda de transmissão da doença. Afinal de contas, o número de casos e mortes voltou a crescer com a chegada do frio.

Além disso, a variante Ômicron, com taxa de transmissibilidade mais alta, ampliou a contaminação. Entretanto, a proporção de mortes em relação ao número de casos caiu desde o ano passado, segundo dados divulgados pelos comitês de saúde.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais