Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

Balão e pipa fazem aeroportos criarem alertas em São Paulo

Esses itens podem causar até mesmo acidentes aéreos

São José dos Campos, 16 de julho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – Balões juninos e pipas se tornam um problema principalmente nas regiões próximas de aeroportos. Tanto é que GRU Airport, administradora do aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, faz um alerta quanto a esses riscos na região.

Isso porque esses dois itens oferecem perigo para a atividade aeroviária e pode até mesmo causar acidentes com aviões. Neste caso, as consequências seriam ainda mais graves.

Outra situação agravante é o período de férias estudantis agora em julho, por exemplo. Durante este período, também é comum aumentar a quantidade de crianças empinando pipas e soltando balões. E o Diario Sp vai falar um pouco sobre o assunto.

Mas isso é um problema a mais quando fazem essas atividades perto dos aeroportos. No caso dos balões juninos, eles já são proibidos em qualquer situação. Afinal de contas, podem causar incêndios em casa, prejuízos e colocar em risco a vida das pessoas.

Linha com cerol é um agravante a mais

Agora, o que mais preocupa mesmo as autoridades são as chamadas linhas cortantes, com cerol. Neste caso, elas podem danificar equipamentos tanto dos aviões quanto das torres de controle.

Isso porque as linhas feitas com caco de vidro moído existem para cortar pipas de outras pessoas. E isso pode causar outros problemas. Além de arriscar a vida e a integridade física das pessoas na rua.

Balão e pipa fazem aeroportos criarem alertas em São Paulo. Foto: Canva
Balão e pipa fazem aeroportos criarem alertas em São Paulo. Foto: Canva

 

Em termos de números, eles assustam. Segundo a GRU, em 2020, no auge da pandemia da Covid-19, foram 56 ocorrências com pipas nas redondezas. No ano seguinte, em 2021, isso subiu para 490, até por conta da flexibilização durante a pandemia da Covid-19.

Mas, em 2022, antes da metade das férias, já foram 260 casos registrados envolvendo pipas, embora sem acidentes graves nas ocorrências. Os números, no entanto, são do ano todo.

Quanto aos balões, a GRU contabiliza 33 registros deles na região do aeroporto que controla, durante o ano de 2020. No ano passado, foram 46 casos e em 2022 a concessionária avistou 20 balões. Destes, seis foram apenas durante a primeira quinzena de julho.

Assim como o cerol, o balão também é proibido por lei no Brasil. No entanto, poucos respeitam e a fiscalização é falha.

Campanhas

Agora, a GRU Airport criou uma campanha com vídeos que circulam pela internet. Neles, se fala da importância de não soltar balões e não empinar pipas com cerol. Principalmente perto das regiões aeroviárias.

Atualmente, a cidade de Guarulhos, na Grande São Paulo, e a própria Capital, possuem diversos lugares afastados de aeroportos onde se pode empinar pipa. Ainda assim, as pipas com cerol seguem proibidas em todos os lugares. Justamente por conta do perigo de machucar outras pessoas durante a prática.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais