Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

Bombeiros paralisam controle do incêndio em São Paulo por risco de desmoronamento

Prédio de 10 andares pega fogo há mais de 40 horas no centro da cidade

São José dos Campos, 12 de julho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – O prédio de 10 andares no centro de São Paulo que pegou fogo no último domingo (10), continua em chamas após mais de 40 horas. No entanto, a equipe do Corpo de Bombeiros em ação no local paralisou o combate às chamas deste incêndio. Isso porque, agora, há risco de desabamento de um desses prédios atingidos pelo fogo.

Afinal de contas, o incêndio foi de grandes proporções. Um dia antes, a Defesa Civil descartou a hipótese de desmoronamento. Mas, agora, esse risco  se tornou real. Assim, por segurança do trabalho dos bombeiros, eles paralisaram momentaneamente o trabalho.

Consequentemente, todo o comércio no entorno do acidente também teve que voltar a fechar as portas. Tudo isso por questão de segurança, evitando que a fumaça atinja os comerciantes e que evitando que um possível desabamento deixe feridos ou até mesmo mortos. E o Diariosp vai falar um pouco mais sobre o assunto.

Quais as ruas foram interditadas pelo incêndio

Então, na manhã desta quarta-feira (12) as principais ruas do centro da cidade próximas ao incêndio foram interditadas. Uma delas foi a Comendador Afonso Kherlakian com a rua Comendador Abdo Schain.

Bombeiros paralisam controle do incêndio em São Paulo por risco de desmoronamento. Foto: Canva
Bombeiros paralisam controle do incêndio em São Paulo por risco de desmoronamento. Foto: Canva

 

Além disso, os bombeiros fecharam o cruzamento entre a rua Niazi Chohfi com a rua 25 de Março. Outros quatro cruzamentos também seguem fechados como medida preventiva: Rua da Cantareira com a Avenida Mercúrio, avenida Prestes Maia com a rua Carlos Souza de Nazaré, Ladeira Porto Geral com a rua Boa Vista e rua Florência de Abreu com a rua da Constituição.

Desta maneira, o já caótico trânsito da capital paulista segue ainda mais congestionado e exigindo cada vez mais paciência dos motoristas que circulam pela região central da cidade.

Por fim, o prédio de dez andares que pegou fogo na noite de domingo atingiu outros três empreendimentos comerciais ao lado, que foram totalmente tomados pelo fogo. Segundo o Corpo de Bombeiros, o prédio onde começou o fogo não tinha o alvará de funcionamento, essencial para o funcionamento.

Prejuízo incalculável

Agora, muitos comerciantes ainda aguardam o encerramento dos trabalhos dos bombeiros para saberem o grau do prejuízo que tiveram. Isso porque muitos perderam até mesmo todo o estoque das lojas. Com isso, vão ter que refazer novamente o patrimônio. Isso sem considerar os gastos com reformas dos prédios.

E ainda tem o caso dos comerciantes que não foram atingidos, mas que não podem trabalhar nesses dias por conta da interdição no local. Até mesmo o Mercado Municipal de São Paulo, que segue aberto, teve o seu movimento prejudicado.

Mas o prejuízo mais irreparável é o da Igreja Ortodoxa, construída em 1904 e primeira dessa religião no Brasil. Por lá, 80% do prédio foi destruído, incluindo documentos importantes e históricos.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais