Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

Coronavac: Instituto Butantan produzirá mais 10 milhões de doses para crianças

Anúncio foi pelo governador Rodrigo Garcia nesta quarta-feira

São José dos Campos, 20 de julho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – O Instituto Butantan importará cerca de 8.000 litros de IFA (sigla para Ingrediente Farmacêutico Ativo) nos próximos meses para retomar a produção da vacina Coronavac em território brasileiro.

Então, quem confirmou a informação foi o governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), nesta quarta-feira (20). Isso porque o estado foi o primeiro do país a trazer a vacina, no início de 2021, onde também chegou a produzir muitas doses, inclusive para exportações.

Logo, como a liberação das vacinas para crianças de 3 a 5 anos no país pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) o fornecimento do imunizante precisa aumentar. Assim, o laboratório chinês Sinovac fornecerá a IFA para o instituto iniciar a produção. E o Diario Sp falará um pouco mais sobre o assunto.

Vacina voltada para crianças

Agora, com a retomada da produção, o Instituto Butantan promete fornecer cerca de 10 milhões de doses. No entanto, esse material é todo voltado para as crianças de 3 e 4 anos em um primeiro momento. Mas o que se produzir vai para o Ministério da Saúde, responsável pela distribuição ao restante do país.

Aliás, nesta quarta (20), a cidade de São Paulo começou a imunização dessa faixa etária, mas apenas para as crianças imunossuprimidas. Isto é, que possuem algum problema mais grave de saúde.

Então, vai depois também iniciar a vacinação das demais crianças com essas idades. Assim como nos adultos, vão se aplicar duas doses da Coronavac. E o intervalo entre uma e outra continua em 28 dias. Com isso, conseguirá se imunizar adequadamente depois desse período.

Coronavac: Instituto Butantan vai produzir mais 10 milhões de doses para crianças. Foto: Canva
Coronavac: Instituto Butantan vai produzir mais 10 milhões de doses para crianças. Foto: Canva

 

A vacinação contra a Covid-19 começou em janeiro de 2021, no auge da pandemia. Na oportunidade, os idosos acima de 90 anos e profissionais da Saúde foram os primeiros a receber a vacina de origem chinesa. Depois, outras vacinas chegaram, como a Astrazeneca, Pfizer e Janssen, ainda se usa na aplicação de doses para outras idades.

Segundo a Anvisa, a Coronavac possui 55% de eficácia contra internação para as crianças. Ou seja, se todas se vacinarem, mais da metade delas não terão complicações caso peguem o novo coronavírus. Além disso, um número maior de pessoas se torna vacinável a partir de agora, o que pode ajudar a diminuir a circulação do vírus no dia a dia.

Início da pandemia

Os primeiros casos do novo coronavírus surgiram na China, no final de 2019. Assim, rapidamente, se espalhou pelo país e chegou a outros continentes. Mas a OMS (Organização Mundial da Saúde) só decretou que a doença era uma pandemia no dia 11 de março de 2022. Na época, ainda não existia vacina. Desde então, o mundo tenta controlar a doença, que já matou mais de 670 mil pessoas apenas no Brasil.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais