Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

Distrito Federal atinge a marca de 60 mil casos prováveis de dengue em 2022

Números preocupam porque a doença também é mortal

Goiânia, 11 de julho de 2022, por Mário Lobo – O Distrito Federal atingiu uma marca preocupante no final do mês de junho. De acordo com um relatório divulgado hoje pela Secretaria de Saúde, o DF atingiu a marca de 60 mil casos prováveis de dengue somente nesse ano de 2022. Assim, já se somam 7 mortes que foram provocadas pela doença até então. Trata-se de um dado preocupante, pois a dengue é uma endemia de alta incidência no país e que pode, inclusive, levar a óbito rapidamente. Sendo assim, diante desses números, a administração pública precisa agir para proteger a população.

Para se ter uma ideia, esses números compreendem o período de 02 de janeiro a 25 de junho. E a representatividade disso é de dimensões extraordinárias, pois indica um aumento de 440,3% em relação a 2021. Ou seja, os casos aumentaram substancialmente e isso coloca em risco o bem estar da população. Também tem potencial para comprometer o atendimento à população na rede de saúde do Distrito Federa. Ou seja, o problema está posto e alguma coisa precisa ser feita urgentemente. Saiba mais aqui no Diário Sp.

Os registros vêm do Distrito Federal e de outros estados

Os registros de dengue a que nos referimos são oriundos do Distrito Federal e outras 3 Unidades da Federação: Goiás, Minas Gerais e São Paulo. As pessoas dos outros estados tiveram o atendimento na rede de saúde do DF, embora não morem na capital. Mas, a quantidade de pessoas de fora é pequena. A esmagadora maioria são pessoas do Distrito Federal, representando 57.679 registros. Houve o registro de 2.284 moradores de Goiás, 22 de Minas Gerais e 10 de São Paulo. E as mortes são todas de moradores do DF.

Distrito Federal atinge a marca de 60 mil casos prováveis de dengue em 2022 - Imagem do Canva
Distrito Federal atinge a marca de 60 mil casos prováveis de dengue em 2022 – Imagem do Canva

As Regiões Administrativas que detêm maior número de casos possíveis são Ceilândia, Samambaia e Planaltina. Os números são respectivamente: 10.162, 5.257 e 3.349. Em termos gerais podemos dizer que esses são os focos da dengue no Distrito Federal e isso já serve como norte para as ações preventivas.

A prevenção é a melhor maneira de controlar a dengue

Embora seja uma doença relativamente antiga, a dengue não tem remédio e nem vacina. A única coisa que é possível fazer é aplicar medicações que controlem os seus sintomas. Ou seja, é uma doença que não está no controle das autoridades de saúde. E quando ela evolui para casos graves é bastante difícil contorná-la. Não é impossível, mas se existem mecanismos de prevenção, a melhor opção é utilizá-los.

E a prevenção à dengue é algo que as pessoas já sabem como fazer. O poder público cria programas de orientação e fiscalização, mas quem tem essa responsabilidade é o cidadão. O caminho é não deixar água parada em local algum, pois é desse descuido que o mosquito precisa para se reproduzir. Se essa cadeia de reprodução for quebrada, há o efetivo controle da endemia. Portanto, se cada um fizer a sua parte, a dengue deixa de ser um problema para todos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais