Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

Estudantes da rede municipal de São Paulo receberam 92 mil refeições nas férias

Dados foram divulgados pela Secretaria de Educação da Capital Paulista

São José dos Campos, 28 de julho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – Os estudantes da rede municipal de ensino de São Paulo receberam mais de 92 mil refeições entre os dias 11 de julho e 22 de julho. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Educação da Capital Paulista nesta semana.

Assim, mesmo no período de recesso escolar, muitos estudantes tiveram acesso às merendas. Então, um total de 9.563 estudantes receberam a alimentação escolar diariamente. Esse material foi distribuído em 52 núcleos educacionais da cidade de São Paulo.

Agora, o chamado programa ‘Recreio nas Férias completou 40 edições ininterruptas na Capital e atendeu alunos de 4 a 14 anos na cidade durante este período. E o Diario Sp vai falar um pouco mais sobre o assunto.

Estudantes fizeram atividades durante as férias

Além das refeições servidas pelos funcionários das escolas municipais, também houve eventos de lazer. Assim, entre 11 e 15 de julho a prefeitura realizou as chamadas atividades recreativas. Neste caso, elas foram abertas para toda a comunidade.

Desse modo, incluiu tanto os alunos das creches quanto das escolas do ensino fundamental, até o último ano. Por isso, o programa englobou as crianças a partir dos 4 anos até adolescentes de 14 anos.

Estudantes da rede municipal de São Paulo receberam 92 mil refeições nas férias. Foto: Canva
Estudantes da rede municipal de São Paulo receberam 92 mil refeições nas férias. Foto: Canva

 

Inclusive, nos casos dos passeios feitos com alunos, fora da unidade escolar, eles também receberam lanches e kits de alimentação. Com isso, também garantiram atividades lúdicas durante esse período de recesso na Capital Paulista. E a prefeitura continuou servindo as refeições as estudantes mesmo após o final do Recreio nas Férias.

Desde a última segunda-feira (25), os estudantes voltaram às aulas de forma regular na cidade de São Paulo. Agora, vão cumprir o restante do ano letivo até o início de dezembro na cidade.

Insegurança alimentar

De acordo com dados divulgados pelo CadÚnico (Cadastro único), pouco mais de 415 mil alunos da rede municipal de São Paulo vivem em situação de vulnerabilidade. Ou seja, de certa forma eles dependem da merenda escolar para garantir a alimentação diária.

Segundo Malde Villas Bôas, secretária interina de educação de São Paulo, desses 415 mil alunos, ao menos 328 deles vivem em situação de extrema pobreza. Até por isso, dependem totalmente do reforço da merenda escolar.

Agora, com a volta às aulas, eles vão frequentar a escola para estudar e também se alimentar. Consequentemente, vão diminuir um pouco a dificuldade da família, que muitas vezes não tem como sustentar todos simultaneamente.

Por fim, a insegurança alimentar é um termo que se utiliza para quem tem o que comer no dia. No entanto, não sabe se terá o que comer no dia seguinte. Isso por conta das dificuldades financeiras de milhares de famílias.

Em São Paulo, os estudantes podem ao menos comer na escola no recesso das aulas. Agora, o programa retoma nas férias de final de ano na Capital.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais