Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

Incêndio deixa 400 famílias desabrigadas no Morro do Piolho, em São Paulo

Acidente aconteceu na parte da manhã, na zona sul da capital

São José dos Campos, 09 de julho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – Mais de 400 famílias ficaram desabrigadas neste sábado (09), em São Paulo. Isso aconteceu após um incêndio atingir as moradias de uma comunidade conhecida como Morro do Piolho na Capital Paulista.

Entretanto, de acordo com o Corpo de Bombeiros, ninguém morreu ou se feriu por conta do fogo. Assim, a corporação fez apenas um atendimento, mas para uma pessoa que teria tropeçado em um objeto e caído no chão.

Contudo, os moradores tiveram mesmo foi o prejuízo material. Afinal de contas, perderam suas casas e devem ser levadas para abrigos provisórios do poder público. Inicialmente, os bombeiros estimaram em 200 o número de desabrigados. No entanto, segundo a prefeitura, foram mais de 400 famílias, conforme apurou o Diario Sp.

Movimentação dos bombeiros

Para combater o incêndio, o Corpo de Bombeiros utilizou 50 soldados no total. Inicialmente, foram 19, mas depois precisou ampliar a quantidade.

De acordo com testemunhas, o fogo começou por volta das 7h30 da manhã e se espalhou rapidamente. Até por conta de as maiorias das casas serem de madeira, as chamas não tiveram dificuldades para se alastrarem.

A comunidade Morro do Piolho, na zona sul de São Paulo, fica na rua Cristóvão Pereira. Por sua vez, é perto da conhecida avenida Jornalista Roberto Marinho.

Enquanto isso, os Bombeiros montaram três frentes de trabalho, em três avenidas, para conseguir controlar o incêndio de grandes proporções. Desse modo, uma equipe ficou na avenida Jornalista Roberto Marinho, enquanto as outras duas ficaram na Rua Gutemberg e também na própria Rua Cristóvão Pereira.

Incêndio deixa 400 famílias desabrigadas no Morro do Piolho, em São Paulo. Foto: Canva
Incêndio deixa 400 famílias desabrigadas no Morro do Piolho, em São Paulo. Foto: Canva

Aeroporto perto do Morro do Piolho

A comunidade fica perto do aeroporto de Congonhas, na zona sul, um dos mais movimentados do país. Entretanto, os voos não sofreram nenhum tipo de alteração ou atraso por conta das fumaças e o local seguiu o trabalho normalmente no período.

Agora, essas famílias que ficaram sem casas vão se alojar em abrigos da prefeitura. Inclusive, também distribuirá kits de primeira necessidade. Assim, é uma maneira de minimizar o sofrimento das pessoas, que já vivem em um local sem as devidas condições.

De acordo com relatos de moradores da região, esse não foi o primeiro incêndio na região. Como a maioria das casas não possui instalações de luz adequadas, existe o risco de curtos. Consequentemente, acontecem os incêndios.

Apesar do susto e de ninguém se machucar neste sábado, muitos moradores também conseguiram tirar os pertences das casas antes do incêndio se alastras. Desta maneira, muitos produtos pessoais, roupas e eletrodomésticos ficaram no meio da calçada. Então, foi a única maneira de evitar um prejuízo ainda maior. Por fim, incêndios em comunidades carentes de São Paulo têm sido comuns e já atingiram outras regiões da cidade.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais