Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

Ministério da Saúde estuda adquirir vacinas contra a varíola do macaco

Neste sábado, a OMS declarou emergência mundial global da doença

São José dos Campos, 23 de julho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – O Ministério da Saúde informou neste sábado (23) que o Brasil poderá pedir remessas de vacina à OMS (Organização Mundial da Saúde) para conter os casos de varíola do macaco.

Atualmente, o Brasil já tem mais de 600 registros da doença, mas de pessoas com históricos de viagens para a Europa e Estados Unidos. No entanto, o país não registrou mortes por causa da varíola do macaco, que se apresenta mais branda que a varíola humana. Esta outra é considerada extinta desde 1980.

Pouco antes do governo brasileiro anunciar essa intenção, a OMS anunciou que a varíola do macaco passa a ser classificada como uma emergência global de saúde. Isso significa que poderá ajudar países a adquirir medicamentos, testes e vacinas. E o Diario Sp falará mais um pouco sobre o assunto.

Varíola do macaco assusta o Brasil e o mundo

Atualmente, o estado de São Paulo é o local no Brasil que mais apresenta casos confirmados da varíola do macaco. São mais de 430 registros, seguidos por Rio de Janeiro e Minas Gerais, que chegaram aos 80 casos confirmados.

Assim, o Ministério da Saúde disse também que o SUS (Sistema Único de Saúde) oferece testes para quem apresentar sintomas da doença. Segundo especialistas, as vacinas contra a varíola humana podem ajudar a conter a doença. Inclusive, nesta última semana, o Instituto Butantan disse que gostaria de produzir a vacina.

Ministério da Saúde estuda adquirir vacinas contra a varíola do macaco. Foto: Canva
Ministério da Saúde estuda adquirir vacinas contra a varíola do macaco. Foto: Canva

 

Inclusive, pediu autorização para a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para produzir o imunizante e comprar IFA, o insumo para fabricar vacinas.

No momento, as pessoas que apresentaram sintomas e tiveram casos confirmados da varíola do macaco ficam em isolamento, no hospital ou em casa. Isso dura de duas a quatro semanas, segundo os médicos.

Capacitação para diagnósticos

Outra informação do Ministério da Saúde é que o país também vem capacitando países vizinhos a fazer os testes laboratoriais que ajudam na detecção da doença. Além disso, o ministério também informou que, desde o dia 11 de julho, monitora de perto os casos.

Contudo, no mundo, segundo dados da OMS, foram mais de 16 mil casos detectados e cinco mortes no total. Desta maneira, o grau de letalidade da doença é pequena e os principais locais onde se concentram os surtos estão na Europa. Logo, a preocupação é maior. Cerca de 75 países já registraram ao menos um caso da varíola do macaco.

Por fim, a preocupação no Brasil é que a doença se espalhe igual à Covid-19. Embora não há indícios de que isso possa acontecer. Desde 2020, mais de 670 mil brasileiros já morreram vítimas do novo coronavírus, considerando os casos confirmados.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais