Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

Prédio no centro de São Paulo pode desabar a qualquer momento; prefeitura quer demolir

Incêndio na noite de domingo atingiu cinco imóveis na região central da cidade

São José dos Campos, 13 de julho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – O prédio de 10 andares que pegou fogo na noite de domingo (10) no centro de São Paulo, tem risco de desabamento a qualquer momento. A informação é do Corpo de Bombeiros que ainda não sabe para que lado ele cairia caso isso realmente se confirme.

Assim, as principais ruas da região ainda estão interditadas pela prefeitura da Capital. Outros quatro imóveis também foram duramente atingidos pelo incêndio. Apesar do prejuízo material, não houve mortos.

Mas dois soldados dos Bombeiros que atuaram na contenção do fogo, ainda no domingo, sofreram queimaduras de segundo grau e se recuperam em um hospital no bairro do Tatuapé, região norte de São Paulo. E o Diariosp vai falar um pouco mais sobre o assunto.

Prefeitura que demolir prédio

Agora, por conta do risco iminente de desabamento do prédio, o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB) disse que a administração vai pedir a demolição do imóvel.

Ele fez a afirmação durante uma entrevista ao canal de televisão CNN, na capital. Assim, a ideia é fazer uma demolição com segurança, sem afetar os outros imóveis próximos.

Prédio no centro de São Paulo pode desabar a qualquer momento; prefeitura quer demolir. Foto: Canva
Prédio no centro de São Paulo pode desabar a qualquer momento; prefeitura quer demolir. Foto: Canva

 

Aliás, historicamente, São Paulo já demoliu vários prédios por conta de incêndios na região central. Um dos mais famosos foi o edifício da Cesp (Companhia Energética do Estado de São Paulo), em 1987.

Na oportunidade, ele foi consumido pelas chamas, na Avenida Paulista, e o fogo comprometeu as estruturas. Logo, engenheiros da prefeitura implodiram na manhã de um domingo, com transmissão pela televisão ao vivo na época.

Risco de colapso

Segundo integrantes do Corpo de Bombeiros, o prédio pode sofrer um colapso a qualquer momento. Assim, não se sabe para onde cairia e, por isso, a rua Barão de Duprat segue totalmente interditada.

Essa rua fica na região da famosa 25 de março, principal ponto de comércio popular da capital paulista. Por lá, passam milhões de consumidores e pequenos comerciantes durante o ano. Desta vez, boa parte do comércio ficou no prejuízo. Isso porque, desde domingo, estão sem poder funcionar.

Além disso, outros prédios foram tomados pelo fogo, com a loja de brinquedos Matsumoto, que desmoronou. Outro prédio que teve 80% de destruição foi o da Igreja Ortodoxa.

Neste caso, além do prejuízo material, ainda houve o prejuízo histórico. Tudo porque a igreja foi construída em 1904, foi a primeira do Brasil e tinha importantes documentos que se perderam por conta do fogo.

Atualmente, a equipe de Corpo de Bombeiros de São Paulo segue no local, se revezando em turnos, para fazer os últimos rescaldos do prédio.

O Mercado Municipal de São Paulo, que funciona perto, está aberto. Porém, como há muitas ruas próximas interditadas, o movimento também caiu.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais