Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

São Paulo chega a 741 casos da varíola do macaco; confira os números

Dados são divulgados pela secretaria de Saúde do governo estadual

São José dos Campos, 27 de julho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – São Paulo chegou a 741 casos de varíola do macaco nesta quarta-feira (27). Os dados foram divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde do governo paulista.

Desta maneira, em apenas dois dias, o estado deu um salto de 151 novos casos da doença contagiosa em apenas dois dias. Agora, tem mais cidades com o registro do primeiro caso da varíola do macaco, como Paulínia, na região de Campinas.

Aliás, no caso de Paulínia, se trata de um homem, com 27 anos, que vem sendo acompanhando pelo sistema de saúde municipal da região. No entanto, ele está estável. E o Diário Sp vai falar um pouco mais sobre o assunto.

Varíola do Macaco cresce 25% no estado

Agora, o aumento dos casos no estado chega a 25% nesses dois dias. Assim, mantém São Paulo como o estado brasileiro com o maior número de registro da doença. Depois, aparecem o Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Atualmente, todos os pacientes com a varíola do macaco em São Paulo estão com a saúde estável. Com isso, não correm nenhum risco de morte, de acordo com informações divulgadas pela própria Secretaria de Saúde.

No caso do estado de São Paulo, a maior parte dos casos está concentrada na região da Grande São Paulo. Por exemplo, apenas na Capital, são 614 casos confirmados da doença.

Em seguida, aparece São Bernardo do Campo, com 15 casos confirmados. Depois, Itapevi e Santo André estão em terceiro lugar, empatados, com 10 casos registrados cada um.

São Paulo chega a 741 casos da varíola do macaco; confira os números. Foto: Canva
São Paulo chega a 741 casos da varíola do macaco; confira os números. Foto: Canva

 

Por enquanto, já se registraram casos da varíola do macaco em 41 cidades do estado de São Paulo. Contudo, alguns especialistas entendem que esses casos podem ser maiores, pois, muitos são subnotificados.

Desta maneira, além de ainda enfrentar a pandemia da Covid-19, que está melhorando mais não acabou, o mundo vive esse outro problema de saúde pública. Contudo, não tem a mesma letalidade do novo coronavírus.

Emergência global

Ainda na semana passada, a OMS (Organização Mundial da Saúde) definiu que a varíola do macaco é uma emergência global. Entretanto, não significa que vai se tornar uma pandemia. Porém, exige cuidados especiais e alerta por parte dos governantes.

Por isso, o Brasil também quer comprar vacinas contra a varíola comum, que está extinta desde o início da década de 1980. No entanto, tem eficácia contra a nova doença e poderia ser um importante auxílio.

Além disso, os especialistas dizem que uma das principais causas de transmissão é o contato direto entre pessoas. Assim, muitos casos ocorrem em relações sexuais e beijos. Por isso, deve-se também evitar o contato com quem tenha suspeita da doença. Assim, será possível tentar controlar o surto da varíola do macaco nos diversos lugares.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais