Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

São Paulo tem quase 4.000 crianças em situação de rua; diz censo da prefeitura

Dados são de pesquisa que voltou a ser realizada após 15 anos na cidade

São José dos Campos, 31 de julho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – A cidade de São Paulo tem quase 4.000 crianças e adolescentes entre 0 e 17 anos em situação de rua. Assim, na prática, são 3.759 em números exatos. Os dados foram divulgados por uma pesquisa da prefeitura de São Paulo.

Aliás, segundo a prefeitura, a cidade ficou 15 anos sem nenhum levantamento do tipo. Agora, já se sabe o número exato de crianças em situação de rua na Capital Paulista. Essa pesquisa aconteceu em maio e os dados foram divulgados nesta semana.

Atualmente, esses jovens usam as ruas para dormir, cometer atos ilícitos, consumir drogas e também estão em situação de vulnerabilidade social. E o Diario Sp falará um pouco mais sobre o assunto.

Crianças em situação de rua preocupa autoridades

Segundo a prefeitura de São Paulo, essas crianças e adolescentes que vivem nesta situação recebem acolhimento do poder público. Desse modo, os serviços de rede socioassistencial buscam ajudar os jovens de alguma forma.

No entanto, muitos não aceitam e preferem até ficar nas ruas, sem estudo e sem nenhum tipo de amparo. Isso porque a maioria deles vem de famílias desestruturadas e não recebem o apoio de quem deveria.

Outro dado importante da pesquisa mostra que 2.749 desses jovens buscam, nas ruas, algum tipo de sobrevivência. Ou seja, a maioria está lá em busca de alguma fonte de renda, seja pedindo dinheiro, fazendo algum trabalho informal ou realizando pequenos furtos.

São Paulo tem quase 4.000 crianças em situação de rua, diz censo da prefeitura. Foto: Canva
São Paulo tem quase 4.000 crianças em situação de rua, diz censo da prefeitura. Foto: Canva

 

Assim, essas crianças e adolescentes representam 73,1% do total. Outros 401 deles pernoitam nas ruas, enquanto 609 acabam acolhidos pelo Sica (Serviços de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes).

Maioria vive na região central

Ainda de acordo com o levantamento da prefeitura, a maioria dos jovens em situação de vulnerabilidade fica na região central de São Paulo. Então, as praças da República, Sé e Santa Cecília concentram os maiores casos, com 309, 202 e 196 deles, respectivamente.

Inclusive, essa região também é onde se tem os maiores índices de reclamação de roubos e furto. Assim, gera insegurança nos moradores e também nos visitantes da Capital.

Do total de jovens que ficam nas ruas, a maioria é do sexo masculino. Desse modo, são 2.227meninos, o que corresponde a 59,2%. Enquanto isso, as meninas representam 38,7%, ou 1.453. Outros 79 jovens, ou 2,1% deles, não souberam ou não quiseram responder.

Quanto à idade, a maioria tem entre 12 e 17 anos, correspondendo a 1.585 pessoas, ou 42% do total. Depois, as crianças de até 6 anos são 1.151 (30,6%). Em seguida, aparecem as de 7 a 11 anos, com 1.017 do total, ou 27,1%.

Por fim, a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social foi a responsável pelo censo. Assim, espera aprimorar políticas públicas para minimizar os problemas de crianças de rua.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais