Diário Supremo
O seu site do dia a dia!

Varíola do macaco: São Paulo diz ter estrutura necessária para atender casos

Neste final de semana, a OMS decretou que a doença é uma emergência global

São José dos Campos, 24 de julho de 2022, por Marcos Eduardo Carvalho – A prefeitura de São Paulo informou que tem toda a estrutura necessária montada para monitorar e receber pacientes com a varíola do macaco.

Atualmente, a capital paulista tem 442 casos confirmados da doença até este final de semana. Além disso, o estado de São Paulo, com mais de 500 casos de varíola do macaco, é a região do país que teve mais relatos da doença até agora.

Segundo a SMS (Secretaria Municipal de Saúde), a cidade conta com capacitação para atendimento em todas as UBSs (Unidades Básicas de Saúde). Assim, quem precisar, terá atendimento gratuito. E o Diario Sp falará um pouco sobre o assunto.

São Paulo segue protocolos contra a varíola do macaco

Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde, a cidade criou os devidos protocolos de atendimentos para casos suspeitos desde o início. Agora, a preocupação maior é evitar que a doença se alastre.

Isso porque não só São Paulo, mas o mundo todo ainda convive com a pandemia da Covid-19. Apenas no Brasil, mais de 670 mil pessoas já morreram e a doença sobrecarregou o sistema de saúde. Principalmente em 2020 e o começo de 2021.

No entanto, a varíola do macaco ainda não causou morte, apenas sintomas considerados leves. Além de febre e dor de garganta, a doença também causa erupções cutâneas na pelo. Com isso, o risco de contaminação aumenta.

Varíola do macaco: São Paulo diz ter estrutura necessária para atender casos. Foto: Canva
Varíola do macaco: São Paulo diz ter estrutura necessária para atender casos. Foto: Canva

 

Inclusive, o contato com a pele com gotículas de saliva de pessoas contaminadas é a principal causa de transmissibilidade da doença. Além disso, que estiver contaminado precisa ficar em isolamento, assim como as vítimas da Covid-19. Até mesmo o uso de máscaras é recomendado atualmente para tentar conter a doença.

Outros protocolos

Agora, é considerado um caso suspeito da varíola do macaco quem apresenta manchas cutâneas pela pele, além da questão da febre. Entretanto, quem estiver assintomático e teve contato com os doentes, não precisa se isolar.

Além disso, históricos de viagens para fora do país, especialmente em países da Europa, já é considerado um motivo a mais para a suspeita. Esses protocolos de ação também valem para as unidades privadas de saúde da capital paulista.

Emergência global

Neste último sábado (23) a OMS (Organização Mundial da Saúde) decretou que a varíola do macaco passou a ser uma emergência global. Ou seja, é o último passo antes de se tornar uma pandemia.

Contudo, segundo especialista, esse decreto serve para melhorar a coordenação dos países na busca da solução para o problema. Agora, no mundo inteiro, já são mais de 16 mil casos confirmados da doença. Contudo, apenas cinco pessoas em todo o mundo morreram por conta da varíola dos macacos, segundo os dados divulgados pela OMS.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Ler mais